Mantega: governo não permitirá elevação das tarifas de energia elétrica

Mantega: governo não permitirá elevação das tarifas de energia elétrica
30 maio 10:25 2013 Imprimir

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem,  (quarta-feira 29), que o governo não permitirá a elevação das tarifas de energia elétrica. na terça-feira (28), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), recusou-se a ler as medidas provisórias  601 e 605  aprovadas pela Câmara. A segunda trata da redução das tarifas de energia elétrica. A MP, com isso, perderá o prazo de validade.

guido mantega ministro

Na terça-feira, a chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministra Gleisi Hoffmann, já tinha lamentado a decisão dos parlamentares, mas disse que o governo garantiria a entrada em vigor das políticas previstas nas MPs, mesmo que elas não sejam votadas.

“É uma pena, mas não haverá o aumento de energia porque usaremos outros instrumentos, apesar de o Senado não ter aprovado a MP 605 e a 601. Teremos que ver como faremos”, disse. Sobre a MP 601, que desonera a folha de pagamento, Mantega destacou que a decisão do Senado só traz prejuízos para o setor produtivo.

“Deveremos colocar como emenda em outras medidas provisórias que estão em tramitação no Congresso Nacional o que não for aprovado. Vai atrasar um pouco, mas acredito que os parlamentares não irão deixar de aprovar um[a] [redução de] custo de tributo para a indústria brasileira”, informou.

Sobre a elevação no valor do dólar, Mantega disse que a decisão do Federal Reserve (Fed -Banco Central dos Estados Unidos) de sinalizar que poderá elevar as taxas de juros provocou a alteração na cotação da moeda norte-americana no Brasil. “Isso fez com que as taxas de juros, relativas ao dólar, se elevassem no longo prazo e [provocou uma situação em que] a maioria das moedas está se desvalorizando”, enfatizou.

Para Mantega, no entanto, isso não é um preocupação para o Brasil: com a desvalorização do real, o país fica mais competitivo ao vender seus produtos para o exterior. O ministro deixou claro que não há qualquer intervenção do governo visando à desvalorização do dólar. “Está havendo uma flutuação do câmbio, com menor intervenção possível do governo. Então, é o mercado que está agindo neste sentido, isso é positivo porque favorece as exportações brasileiras”.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.