Juninho vive dilema e tem opções negativas para aposentadoria no Vasco

Juninho vive dilema e tem opções negativas para aposentadoria no Vasco
14 novembro 09:20 2013 Imprimir

vasco juninho pernambucano

Próximo da aposentadoria, Juninho vive um dilema para anunciar o final da sua trajetória no futebol. Após a grave lesão sofrida no empate por 2 a 2 com o Santos, o veterano está praticamente fora do restante do Campeonato Brasileiro e pode ter realizado a sua última partida pelo Vasco. Em um momento de crise pelos resultados e luta contra o rebaixamento, o camisa 8 tem opções delicadas para encerrar a carreira.

Juninho voltou ao Vasco em julho e teve um início animador. Com dois gols, o meia ajudou o time a vencer Fluminense (3 a 1) e Criciúma (3 a 2). O veterano foi importante na sequência da competição, mas não repetiu o nível das primeiras atuações. O próprio reconheceu que a temporada atual é a mais difícil e com menor média de gols no Vasco.

Além dos obstáculos no Brasileirão e o temor de aposentar-se com a marca de um possível rebaixamento, Juninho passou a queixar-se dos problemas físicos. Ele convive desde 1997 com uma lesão no púbis e sofreu com dores no local na vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba.

Depois de uma semana em tratamento, Juninho entrou em campo contra o Santos, mas foi substituído nos minutos iniciais por conta de uma grave lesão na coxa direita. O próprio admitiu a possibilidade de ter se despedido do futebol no Maracanã lotado. Porém, a opção está longe do que imaginou no retorno ao Vasco.

E as alternativas para o encerramento de uma carreira vitoriosa são desanimadoras. Caso não atue mais em 2013, Juninho terá de assistir os companheiros e apenas torcer. Ele luta contra a possibilidade de pendurar as chuteiras sendo rebaixado, além de não manifestar entusiasmo em parar disputando uma Série-B.

A melhor opção no panorama desfavorável é contar com a permanência do Vasco na elite e torcer para que o seu corpo suporte ao menos mais seis meses em 2014. Aos 38 anos, Juninho conta com o apoio dos companheiros na complicada missão de decidir o momento da aposentadoria.

“Já conversamos sobre a possibilidade de o Juninho continuar. Pela qualidade que tem e a vontade de jogar demonstrada, pode seguir, pelo menos mais seis meses ou o Campeonato Carioca. Ele tem condição para isso, pois é muito profissional. Queremos o Juninho em campo”, afirmou o zagueiro Cris.

O ídolo da torcida mostrou-se bastante abalado com a lesão e vai usar o período pós-Brasileirão para definir a data da aposentadoria. O departamento médico suspeita de uma ruptura no tendão do músculo adutor da coxa direita. O jogador realiza um exame de imagem na terça-feira, que deve confirmar o prazo de recuperação entre dois e três meses.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.