A regra da gorjeta nos 10 países mais visitados pelos brasileiros

A regra da gorjeta nos 10 países mais visitados pelos brasileiros
20 março 12:48 2014 Imprimir

gorgetaÉ unânime e óbvio: todo mundo gosta de ser bem atendido. Se você opta por um café, bar ou restaurante, sempre espera ser atendido com educação e gentileza e que os pedidos não demorem muito. A gorjeta surgiu na Inglaterra, durante o século 17 e hoje é usada no mundo inteiro para demonstrar a satisfação por um serviço prestado. Não é à toa que é comum não dar nenhuma gorjeta se o serviço não agradou. Há locais do mundo em que a gorjeta é regra e lei, já em outros é algo apenas cultural e não pagá-la pode ser considerado um ato extremamente grosseiro. Saiba como funciona a gorjeta no Brasil e nos dez países mais visitados pelo turista brasileiro.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Gastronomia e Hospedagem de São Paulo e Região, mais de 80% dos estabelecimentos da região adicionam na conta uma taxa de serviço de 10% sobre o valor consumido. Essa taxa é opcional e pode ser entendida como gorjeta. Mas, em casos de excelente atendimento, também é comum pagar diretamente ao garçom sem uma porcentagem pré-determinada.

Os Estados Unidos não possuem uma lei específica sobre as gorjetas, mas elas já se tornaram uma convenção social. Mesmo se o serviço oferecido for regular ou ruim, espera-se que uma gorjeta seja oferecida, ainda que em valor mais baixo do que o comum. O tradicional é pagar ao menos uma taxa de 15% de gorjeta, com exceção de situações em que você deseja deixar claro de que o atendimento não foi bom. Há algumas cidades norte-americanas que aumentaram a convenção entre 17% a 20%. Em Nova York e Las Vegas, por exemplo, a gorjeta costuma ser mais alta do que em Miami e Orlando, muito visitadas por brasileiros. Para carregadores de malas, o comum é oferecer 1 dólar para cada mala e, para camareiras, é comum deixar 2 dólares em cima da cama do hotel.

A França é um dos países que possui regra quanto às gorjetas. No país, há a obrigatoriedade de pagar uma taxa de 15% que já vem impressa na conta com a descrição de “serviço incluído” (em francês: “service compris”). Porém, ainda há quem adicione um valor a mais em suas contas, principalmente em restaurantes sofisticados do país. Esse valor extra é definido a critério do cliente.

Portugal é um dos poucos países em que a gorjeta é pouco praticada. No almoço, principalmente, é comum não pagar nada pelo serviço ou muito pouco, no máximo 1 euro. Durante os jantares e fins de semana as gorjetas são um pouco mais comuns, mas o mais comumente praticado é entre 5% a 10%, valor bem inferior ao da maioria dos demais países.

Assim como no Brasil, o Reino Unido inclui na conta a taxa de serviço opcional na conta. Se a taxa de serviço não vier especificada na conta, o mais comum é adicionar um valor de 10%. Nesse caso, há um espaço específico no papel para escrever qual o valor que se deseja pagar pela gorjeta. Nos pubs do Reino Unido, não é comum dar gorjeta. Geralmente, quem fica por horas em pubs pode agradecer o barman oferecendo um drink, pedindo, na hora de pagar a conta, para incluir “one for yourself” (um para você). Também é comum adicionar moedas na caixinha dos pubs. Nos táxis, é comum dar entre 10 a 15% de gorjeta e sempre arredondar o troco.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.