Denúncia: 1 de cada 3 deportados sofreu abusos

Denúncia: 1 de cada 3 deportados sofreu abusos
24 setembro 15:17 2015 Imprimir

deportados

Uma denúncia da organização Iniciativa Fronteiriça Kino (IFK), que recolhe centenas de relatos de imigrantes deportados dos Estados Unidos, revela que um terço dos indocumentados repatriados sofreram algum tipo de abuso por parte das autoridades migratórias.

“Isto reflete os problemas estruturais do processo de detenção e deportação. Nós da Iniciativa Kino lutamos por políticas migratórias que sejam humanas, justas e viáveis. O estudo nos mostra que falta um aspecto importante para a dignidade humana e a justiça no processo de deportação”, disse Joanna Williams, diretora de Educação e Defesa da IFK.

Para elaborar o relatório “Nossos valores foram: abuso de migrantes e a separação de famílias na fronteira”, IFK entrevistou 358 imigrantes mexicanos deportados dentro da Iniciativa Fronteiriça Kino em Nogales, México, entre julho de 2014 e março de 2015.

O padre Sean Carroll, diretor executivo da IFK, apresentou esta semana em Washington as informações às autoridades da Agência de Aduanas e Proteção de Fronteiras (CBP) americanas e vários congressistas.

A diretora de Educação e Defesa da IFK disse que a separação familiar se dá quando dois migrantes que são familiares diretos, como esposos o irmão, são detidos juntos e logo os deportam através de cidades diferentes ou um permanece detido enquanto o outro é deportado.

No que se refere ao abuso por parte da Patrulha da Fronteira, o estudo aponta que uma terça parte dos entrevistados disseram haver sofrido algum tipo de abuso (15% das mulheres e 10% dos homens asseguraram haver sofrido abuso físico), e também não devolveram seus pertences na hora da detenção.

No relatório, IFK recomendou ao Departamento de Segurança Nacional (DHS) dos Estados Unidos melhorar a capacitação dos agentes e oficiais de CBP, manter as famílias unidas, não ultrapassar os limites nas prisões e oferecer informações em espanhol aos imigrantes, entre outras medidas.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.