Ministro da Defesa diz que trabalha com EUA contra extremistas e reconhece falhas em fronteiras

Ministro da Defesa diz que trabalha com EUA contra extremistas e reconhece falhas em fronteiras
28 julho 14:27 2016 Imprimir

_ministro da defesa

Além do grupo de 12 presos na semana passada pela Polícia Federal por supostos “atos preparatórios” para ataques durante a Olimpíada, as Forças Armadas monitoram outros brasileiros que mostram “simpatia” ou fazem “apologia” a grupos extremistas, segundo o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

Em entrevista exclusiva à BBC Brasil no salão de reuniões do Comando Militar do Leste, no Rio de Janeiro, ele afirmou que essas pessoas ainda não teriam “cruzado a linha” entre a louvação e a preparação efetiva de ataques.

Caso isso ocorra, serão “capturados e terão que responder perante a lei com penas pesadas” – Jungmann foi um dos criadores da recente Lei Antiterrorismo.

O ministro reconheceu falhas tanto no monitoramento de fronteiras quanto no diálogo tardio sobre segurança com países vizinhos, mas afirmou que o governo trabalha “a quatro mãos” com os Estados Unidos – além de equipes de segurança de outros 105 países.

A dez dias da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, o ministro classifica o atraso na seleção dos responsáveis pelas revistas e aparelhos de raio-X na entrada dos Jogos como um “processo que apresenta falhas, sem a menor sombra de dúvida”.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.