Momento do Cruzeiro exige sacrifício do elenco para suportar cansaço e maratona

Momento do Cruzeiro exige sacrifício do elenco para suportar cansaço e maratona
20 abril 15:20 2017 Imprimir

cruzeiro

O desgaste e o cansaço dos jogadores do Cruzeiro na partida contra o América-MG foi visível. O time nitidamente sentiu os efeitos da sequência pesada de partidas das últimas semanas. Mas não adianta reclamar. A vida segue e as quatro competições que o time disputa também. Nesta quarta-feira, o Cruzeiro recebe o São Paulo, às 19h30 (de Brasília), pela volta da quarta fase da Copa do Brasil. Depois, no final de semana, o adversário é o América-MG, na volta da semifinal do Campeonato Mineiro.

Para o comentarista da TV Globo e do SporTV, Henrique Fernandes, o momento é de sacrifício e exige dedicação total de todos os jogadores. Além disso, passando pelos dois desafios desta semana, o Cruzeiro terá uma sequência mais branda pela frente, pelo menos no que dize respeito às datas em sequência.

– A melhor forma é gerir o esforço nos treinamentos e intensificar cuidados com alimentação e descanso. Tem que partir do profissionalismo de cada jogador. A comissão técnica precisa ter também muita atenção aos testes de indicadores físicos para não expor nenhum atleta a atividade exagerada. No caso do Cruzeiro, esta semana será a última de maior dificuldade nesse aspecto. A semana que vem e a seguinte serão só de treinamentos, o que vai dar ao Mano a chance até de aprimorar aspectos táticos e técnicos contando com todo o grupo. Passada a decisão do Mineiro e o jogo de volta contra o Nacional-PAR, é possível até pensar em tirar alguns jogadores em condições físicas menos favoráveis das primeiras rodadas do Brasileiro.

Henrique Fernandes não acha que Mano Menezes deve poupar titulares diante do São Paulo. O comentarista acredita que a vaga ainda não está garantida, mesmo com a vantagem de 2 a 0 construída no primeiro jogo.

– Entendo que não seja hora para isso. Apesar da boa vantagem, o Cruzeiro ainda tem que confirmar a classificação. Poupar jogadores pode servir também para reduzir o grau de atenção do elenco para o jogo decisivo e passar uma falsa ideia de facilidade. O jogador pode pensar que a partida é simples, por isso alguns dos companheiros que atuam nos jogos mais complicados ficarão de fora por opção do treinador. Mano não pode correr esse risco. O São Paulo está pressionado, não poupará ninguém, e chegará a Belo Horizonte com foco máximo no jogo. Cruzeiro precisa igualar isso.

A mesma linha de raciocínio vale para o jogo com o América-MG. O Cruzeiro joga pelo empate, mas o rival tem um bom time e pode surpreender, assim como fez em 2016. Para Henrique Fernandes, o sacrifício é mais do que válido.

– O América-MG joga a partida de volta sem tanta pressão. Sabe do favoritismo do Cruzeiro e chegará ao Mineirão como franco atirador. Também é um jogo que o Cruzeiro precisa encarar, portanto, com seriedade, até porque a vantagem no confronto é muito menor que a do confronto na Copa do Brasil. Basta um gol do América-MG para jogar a classificação celeste pelo ralo. A hora de poupar jogadores foi nas partidas passadas, e Mano sempre falou nisso. Momento agora é de sacrifício para confirmar as classificações e seguir brigando por todos os títulos na temporada.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.