Entenda a polêmica do muro na fronteira EUA-México que paralisou governo americano

Entenda a polêmica do muro na fronteira EUA-México que paralisou governo americano
24 janeiro 16:08 2019 Imprimir

Um impasse sobre o financiamento do muro prometido pelo presidente Donald Trump para a fronteira dos Estados Unidos com o México resultou na mais longa paralisação já registrada no governo americano.

O presidente argumenta que US$ 5,7 bilhões são necessários e que o muro permitiria conter uma “crise humanitária e de segurança” na fronteira sul. A seguir, algumas considerações mostram a quantas andam o projeto e a situação na fronteira EUA-México.

1. Construção do muro

Antes de Trump assumir o cargo, havia pouco mais de 1.000 km de barreira ao longo da fronteira sul – sendo cerca de 570 km para impedir a passagem de pedestres e o restante formado por cercas antiveículos. Às vésperas das eleições presidenciais de 2016, Trump prometeu construir um muro ao longo dos 3.200 km de fronteira com o México. Apenas 64 km de barreiras de substituição foram construídas ou iniciadas. A expectativa é que em 2019 seja iniciada a construção de mais 61 km. Isso equivale a uma renovação de aproximadamente 15% das estruturas já existentes.

2. Ninguém sabe realmente quanto custaria

Diversas estimativas consideravelmente diferentes para um muro de concreto foram apresentadas por órgãos oficiais e não-oficiais – variando de US$ 12 bilhões a US$ 70 bilhões. O custo inicial anunciado por Trump, entre US$ 8 bilhões e US$ 12 bilhões para um muro cobrindo metade da extensão da fronteira, foi amplamente contestado.

3. Trump queria concreto, mas agora está falando em aço

Trump mudou sua visão em relação à composição do muro. Sua promessa de construir um “grande e belo muro” entre os EUA e o México foi bradada como um grito de guerra durante sua campanha eleitoral. No início, ele dizia que o faria em concreto. Uma vez eleito, entretanto, Trump começou a falar em uma barreira feita de aço, para que os agentes de fronteira pudessem enxergar através dela. Pouco antes da paralisação do governo, ele tuitou uma imagem do projeto de sua “barreira de lâminas de aço”, que disse ser “totalmente eficaz e, ao mesmo tempo, bonita”. Funcionários da Agência de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA disseram que nenhum dos protótipos da administração Trump testados em 2017 satisfez os requisitos operacionais.

4. Número de apreensões na fronteira sul diminuiu com o tempo

Trump disse em um pronunciamento nacional no início de janeiro que o muro é necessário para conter uma “crescente crise humanitária e de segurança em nossa fronteira sul”, envolvendo “milhares de imigrantes ilegais”.

5. A maior parte da imigração ilegal envolve pessoas com vistos expirados, e não as que cruzam a fronteira

Enquanto quase 400 mil pessoas foram presas tentando atravessar ilegalmente a fronteira sul do país no ano passado, mais de 700 mil que entraram nos EUA legalmente ultrapassaram a data prevista para partida em 2018, de acordo com o Departamento de Segurança Interna.

6. É improvável que o muro impeça a entrada de drogas nos EUA

Trump afirmou que 90% da heroína encontrada nos Estados Unidos entra pela fronteira sul e que um muro ajudaria a impedir isso. As apreensões de heroína em todo o país chegaram a 7.979 kg em 2017, com 39% apreendidos na fronteira EUA-México, de acordo com a Drug Enforcement Agency. Embora a maior parte da heroína nos EUA seja procedente do México, o DEA diz que a maior parte dela é contrabandeada através de portos legais de entrada, escondida em veículos de propriedade privada ou caminhões de transporte, misturada com outras mercadorias. Só uma pequena porcentagem das apreensões da droga foi feita entre os pontos de acesso – onde barreiras existem ou são propostas.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.