Léa Campos: Pan-Americano 2019

Léa Campos: Pan-Americano 2019
15 agosto 10:56 2019 Imprimir

Pela primeira vez Brasil conquista o segundo lugar nos Jogos Pan-Americanos, desbancando México e Canadá, que sempre se mostrou mais competitivo.

No cômputo geral Brasil conquistou 55 medalhas de ouro, 45 de prata e 71 de bronze, perfazendo um total de 171 medalhas. Levando em conta que são esportes que não recebem o mesmo apoio do futebol, nossa equipe nada contra a corrente sempre, mas o amor pelo esporte e a determinação da maioria sempre sai vencendo. Por mais que o governo se negue a ver, o esporte brasileiro está assumindo outras posições. O Pan-Americano é a chave que abre as portas para as Olimpíadas. Arthur Zanetti se frustrou ao conquistar a prata nas argolas, ainda assim o Brasil fez história ao conquistar ouros inéditos no boxe, badminton e tae-kwon-do.

Resultado de imagem para pan americano 2019

As meninas brilharam, o que mostra que se tivessem mais apoio poderiam ser as melhores em qualquer modalidade. O handebol feminino venceu as argentinas, que apesar da eficiência e da concentração no primeiro tempo, não conseguiram repetir o mesmo desempenho na segunda etapa, quando nossa seleção corrigiu os erros e venceram pelo placar de 31 x 21, as meninas ganharam o ouro e o hexacampeonato, e de rebarba garantiram presença nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.
A locomotiva brasileira,  em jogos Olímpicos e Pan-Americanos, o judô brasileiro, brilhou novamente com Mayra Aguiar e Rafaela Silva que creditaram mais dois ouros ao quadro brasileiro. Na natação Brasil brilhou novamente: foram 10 ouros, 9 pratas e 11 bronzes.

Guilherme Costa nos 1.500 metros cravou o ouro, enquanto Etiene nos 50 metros livre, Bruno Fratus também nos 50 livres levou a dourada, o revezamento masculino 4×200 com Luiz Altamir, Fernando Scheffer, João de Lucca e Breno Correia que subiram ao pódio para ouvir o Hino Brasileiro. As meninas voltaram a brilhar ao vencer os 4×100 medley com as atletas Etiene, Jhennifer, Giovanna e Larissa .”Nadar o revezamento é importante para a natação feminina, são as melhores de cada estilo, uma prova rápida, onde as americanas sempre ganham e as canadenses também”, enfatizou Etiene. Francisco Barreto levou 3 medalhas de ouro para casa na ginástica artística: barra fixa, cavalo com alças e na equipe masculina. Nessa modalidade foram 11 medalhas: 4 de ouro, 4 de prata e 1 de bronze. O basquete feminino brilhou ao resgatar uma performance da época de ouro de Hortência & Cia., derrotaram no final a poderosa equipe dos EEUU. Foi a primeira vez que o Brasil conquistou ouro na patinação artística feminina em jogos  Pan-Americanos, a heroína foi Bruna Wurts, que com 18 anos subiu ao mais alto degrau do pódio depois de contabilizar 103,17 pontos. As meninas  Martine Grael e Kahena Kunze levaram ouro no surfe, na boxe também vimos Beatriz Ferreira conquistar ouro ao derrotar a Argentina. São medalhas que foram conquistadas pelo esforço de atletas que muitas vezes passam até fome para treinar. O Brasil é um celeiro esportivo, apesar da falta de apoio.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.