Léa Campos: Tóquio 2020

Léa Campos: Tóquio 2020
16 janeiro 13:43 2020 Imprimir

As Olimpíadas Tóquio 2020 serão realizadas de 24 de julho a 9 de agosto. O Japão está se preparando desde 2016 para receber os países que estão representados, excluindo Rússia que está fora por doping. O Brasil tem 152 vagas já confirmadas, a novidade até agora é o aumento das mulheres na competição.

Somos 80 contra 65 e ainda teremos 7 vagas do hipismo que tem disputa mista, é a  primeira em que o total de mulheres supera o de homens (brasileiros) numa olimpíada. A presença feminina vem crescendo de forma lenta, mas continua na história dos Jogos Olímpicos, estivemos proibidas de participar na primeira edição da Era Moderna do evento em 1896, sendo que as mulheres foram impedidas de competir como acontecia na Grécia Antiga.

O Comitê Olímpico Internacional, pretende igualar o número de mulheres e homens, aumentando as competições femininas e diminuindo as masculinas como a canoagem e o boxe por exemplo. Nas Olimpíadas 2016 no Brasil,  as mulheres representaram 45% dos competidores (5.176 em 11.444). A vantagem da delegação brasileira para os Jogos de Tóquio até o momento, se deve às seleções femininas de rúgbi, handebol e futebol que têm participação garantida. Em contrapartida, a seleção masculina de rúgbi não estará presente enquanto a de handebol está, após ser derrotada nos Jogos Pan-americanos 2019 enquanto a seleção de futebol (sub 23), ainda terá que disputar o torneio pré-olímpico na Colômbia cujo início acontece amanhã.

No que se refere ao  basquete, tanto a feminina como a masculina terão que disputar suas respectivas vagas. A feminina participará de uma competição na França, onde uma vitória praticamente garante a presença feminina, enquanto os homens terão uma tarefa mais difícil, terão que superar cinco rivais na Croácia no mês de junho. O vôlei, tanto os comandados po Renan del Zotto, quanto as meninas comandadas por José Roberto já garantiram suas vagas. Ainda esperamos os resultados das seletiva que será realizada em abril para determinar os classificados nas provas individuais de natação, cuja novidade, repetindo o que ocorre nas potências do esporte, em que somente o tempo obtido pelos competidores nas finais do Troféu Brasil contarão para confirmar a presença na competição.

No atletismo deverá haver mais atletas conquistando índices nos próximos meses, enquanto que no judô a tendência é que contemos com nossos representantes na 14 categorias (7 femininas e 7 masculinas), o ranking da federação internacional fecha em maio. Segundo Bichara, o comitê está voltado principalmente para os pesos pesados, com chance na disputa interna pelas vagas entre  Rafael Silva e David Moura, (oitavo e décimo no ranking) e Maria Suelen e Beatriz Souza (quarta e sétima  colocadas).
As Olimpíadas começam dia 24 de julho, mas nossa primeira equipe já fincou a bandeira brasileira em território japonês, o que ocorreu dia 10, para aclimatação, apesar de que a data da entrada na Vila Olímpica  aconteceu dia 10 do mês em curso.
As medalhas são o objetivo de todos, vencer é a meta, apesar da máxima: “O IMPORTANTE É COMPETIR” , ninguém se prepara com tantas renúncias para não ser vitorioso.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.