Francisco SampaNotícias

Francisco Sampa: Parabéns Brasil, felicidades brasileiros (se possível)

0

francisco_sampaNão importa onde nascemos: na caatinga do nordeste, nos igarapés amazônicos, nos pampas do sul, nas serras e vales das gerais, no planalto de Piratininga, no cerrado central ou nas praias de norte a sul do país. Somos índios, negros, caboclos, mamelucos, cafuzos, brancos. Somos brasileiros. Temos orgulho da terra que nos viu nascer, a pátria amada mãe, (às vezes), gentil. Descoberta há mil, quinhentos e quinze anos e batizada de Brasil. Não importa as mazelas sociais que assolam nossa nação, somos um povo guerreiro, altivos, carentes e cientes do poder de nossa gente. Gente brava, honesta e trabalhadora.

Brasil, tu és uma das mais fortes e prósperas economias mundial. Um parque industrial dos mais desenvolvidos. Pioneiros em várias frentes da ciência e da tecnologia. Um país gigante que caminha a passos largos em busca do lugar que lhe é de direito. Brasil, terra de contrastes. Um povo que carrega no peito o orgulho de ser brasileiro. Povo pacífico, preparado para servir quando solicitado. Um sorriso no rosto e os braços abertos para um fraternal abraço ao amigo e a todos que cruzam as sua fronteiras. Ser brasileiro é viver sem ter a vergonha de ser feliz.

Ser livre como a brisa do mar. Quente como o sol de Ipanema numa manhã de verão. Terra de Jobim, Castro Alves, compositores, cantores de nível internacional. Terra de Gilberto Freire e de altos coqueiros. De Drummond nas Gerais. Das serras e dos vales. De João, de José, de Maria. Povo alegre e de muita fé, um contraste entre o sagrado e o profano. Terra do samba, do frevo e do maracatu, seja do baque solto, não importa ser do baque virado, todos os ritmos. Do trenzinho caipira, de Villa Lobos, do Guarani de Carlos Gomes.

Como é bom ouvir no cair da tarde, num dourado pôr do sol os acordes das bachianas. Na imensidão da Amazônia, o verde da bandeira e da esperança, num contraste com o azul das águas dos rios caudalosos e lentos que se espraiam inundando o que um dia foi a Terra de Vera Cruz. Terra onde em se plantando tudo dá. Terra onde todos podem sonhar que o amanhã será outro dia. Terra onde se pode comungar a fé sem constrangimento, seja qual for a religião. No Brasil todo povo é irmão. A festa do frevo e do maracatu. Dos santos juninos. Das Folias de Reis. Dos meninos e moleques dos rios São Francisco, doce Capibaribe, do Negro e do Solimões. Dos pampas do sul, aos igarapés do norte e aos mangues do nordeste. Terra de gaúcho macho e de cabra da peste. Brasil de mar e céu azuis. O branco da paz. O amarelo da riqueza do ouro e da prosperidade para o homem do campo ou da cidade.

Te desejamos Ó Pátria amada mãe, (que nem sempre é), gentil, nestes anos de tua Independência, rogamos ao criador felicidade e prosperidade para o teu povo! Obrigado por nos ter deixado nascer no teu ventre! Dentre todas as pátrias, nós te amamos Brasil. Porém, devemos ter os dois pés bem plantados nos chão e olharmos com seriedade o futuro que nos espera, porque nossos comandantes não têm sido tão generosos com os eleitores que neles confiaram e hoje estão enterrando a nossa Pátria de forma vergonhosa.


Léa Campos: Águia do Vale é Tri

Previous article

Fato Policial by Roger Costa . 10/09/2015

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *