Léa CamposNotícias

Léa Campos: Senhorita Bola

0

lea campos ed1751 20151001 (3)

Qual é a utilidade de uma bola? São vários os esportes que para existirem precisam que a bola esteja presente, bola redonda, bola oval, bola de couro, bola de louça, bola de borracha, bola grande, média e pequena enfim, a bola
faz a festa de muitos.

Na China a bola teve uma utilidade inusitada e talvez seja a única vez que teve este uso.

No ano 2000, a garota, Qian Hongyan se tornou conhecida depois de perder as duas pernas num acidente automobilístico. Contava com quatro anos de idade. Filha de uma família pobre, viu na bola de basquete a forma de minimizar sua dor, quando resolveu usar a bola acoplada à parte baixa do corpo, cuja finalidade era evitar o contato direto do corpo com o chão.

lea campos ed1751 20151001 (1)

Como não poderia ser diferente, a imagem da garota viralizou na internet, e
apesar dos questionamentos da maneira desrespeitosas que tratam os
deficientes naquele país, a sorte sorriu para a menina com inúmeras doações
aportadas.
Qian, pode com o dinheiro das doações colocar as próteses das pernas ,
proporcionando entre outras coisas terminar o ensino básico e passou desde
então a dedicar-se à natação.
Sempre dedicada, com o tempo Qian se transformou em estrela das piscinas
ganhando o campeonato nacional paraolímpico em sua categoria.
A natação a fascinava. Se preparava para disputar as Paraolimpíadas de
Londres em 2012, quando seu pai faleceu.

lea campos ed1751 20151001 (2)
Em decorrência, deixou a equipe chinesa de natação e deu uma parada no
esporte.
No entanto, conforme afirma a reportagem do jornal britânico “Daily Mail”.
ela retomou os treinos no ano passado e conquistou o ouro nos 100 metros,
nado de peito nos jogos Paraolímpicos de Yunann.
Ela estará no Brasil no próximo ano, onde vai em busca do ouro, e no que
depender de meu apoio espiritual, ela sairá da Paraolimpíaca 2016 com todas as medalhas que ela disputar.
Não cheguei a este extremo quando sofri o acidente, mas me arrastei pelo chão da casa muitas vezes, até que foi possível ter uma cadeira de rodas.
Não poder andar é um incômodo muito grande, mas perder as pernas não tem
como descrever.
Quem já passou por alguma situação semelhante entende o valor da vitória
dessa chinesa que com 19 anos não vê na falta das pernas um empecilho
para chegar ao pódio.

Informar é um privilégio, informar corretamente uma obrigação.

Léa Campos


Social Press . 01/10/2015

Previous article

Francisco Sampa: O que significa mesmo ser cidadão?

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Léa Campos