BrasilNotícias

Senador democrata Bernie Sanders, diz que Bolsonaro explora medo para ganhar poder

1

O senador democrata Bernie Sanders, que assinou uma carta em julho deste ano criticando o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou que o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, é um exemplo de demagogo que explora o medo e o sofrimento das pessoas para ganhar e manter o poder.

“Bolsonaro tem um longo histórico de ataques contra imigrantes, minorias, mulheres e a população LGBT. Bolsonaro, que disse adorar Donald Trump, exaltou a ditadura militar brasileira e afirmou, entre outras coisas, que, para lidar com o crime, a polícia deveria ser autorizada a atirar em mais criminosos”, afirmou o senador.

“Essa é a pessoa que poderá em breve liderar o quinto país mais populoso e a nona maior economia do mundo.”

O discurso foi feito na terça-feira (9), durante um evento realizado pela SAIS (Escola de Estudos Internacionais Avançados) da Universidade Johns Hopkins, em Washington.

A proposta era discutir como construir um movimento democrático global para combater o autoritarismo.

Sanders também afirmou para a plateia que Lula, “o político mais popular” do país, está preso por causa de “alegações altamente questionáveis”.

Para o senador, o mundo assiste à ascensão de um novo eixo autoritário, patrocinado por líderes como Bolsonaro, Donald Trump, o russo Vladimir Putin, o filipino Rodrigo Duterte e o turco Recep Tayyip Erdogan.

Apesar de se diferenciarem em alguns aspectos, compartilham características como “a intolerância em relação a minorias étnicas e religiosas, a hostilidade às normas democráticas, o antagonismo em relação à imprensa livre e a constante paranoia sobre conspirações estrangeiras”, segundo ele.

O fato de o presidente da “democracia mais antiga e poderosa” do mundo desrespeitar normas democráticas e atacar a imprensa e o Judiciário estaria inspirando outros líderes com tendências autoritárias a fazerem o mesmo.

A solução para combater o autoritarismo, diz Sanders, é criar um “forte movimento progressista global” que atenda às necessidades dos trabalhadores e que reconheça que os problemas que o mundo enfrenta são fruto de um “status quo falido”.

“Precisamos de um movimento que una pessoas ao redor do mundo que não buscam voltar a um passado romantizado, o qual não funcionou para muitos, mas que lutam por algo melhor.”

A carta assinada por Bernie Sanders e outros 28 congressistas americanos foi escrita após a prisão de Lula e a morte da vereadora e ativista Marielle Franco (PSOL), no Rio de Janeiro.

O documento, enviado ao governo brasileiro, denunciava a “intensificação do ataque à democracia e aos direitos humanos no Brasil” e pedia a liberdade de Lula e uma investigação internacional para o caso de Marielle. Com informações da Folhapress.

 


PF interrompe plano de fuga de traficante brasileiro no Paraguai

Previous article

Flashes coquetel reabertura Pic Nic Restaurante, sob nova direção

Next article

You may also like

1 Comment

  1. Só fato de ele dizer isso

    Lula, “o político mais popular” do país, está preso por causa de “alegações altamente questionáveis

    dá um descredito enorme a ele.

    De fato muitos eleitores acabam votando em um derminado candidato, por causa do outro. infelizmente aqui não é diferente.

    Mas o medo que esse eleitor possui é real, está acontecendo, e não há sinais claros que os causadores tenham vontade de dar um fim nisso, é por isso esse voto organico que o Bolsonaro agarinha constantemente, é um perigo , mas é um evento natural.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Brasil