DestaquesLéa CamposNotícias

Léa Campos: Merecimento Sem Prêmio Nobel

0

Quando o mundo político e religioso estiverem vendo o Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, evento que teve seu início dia 03 e terminará em 27 de outubro, no Vaticano, ocasião em que o Papa Francisco canonizará Irmã Dulce dos Pobres. Será a 37ª santa brasileira, que leva em conta todos os santos que viveram no Brasil não importando a nacionalidade.

Ao contrário da Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce nunca ganhou o Nobel da Paz, tudo que ela fez pelos pobres no Brasil foi com dinheiro próprio, onde se incluiu a herança antecipada que deixaram seus pais. Irmã Dulce já deveria ter sido canonizada, são muitos os milagres operados por ela, além de ajudar os menos favorecidos. A baiana Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, será merecidamente canonizada no próximo domingo dia 13 de outubro pelo Papa Francisco, foi preciso um argentino para reconhecer o grande trabalho de nossa Santa Irmã Dulce.

“Destaco sua simplicidade, seu foco em Jesus Cristo sua capacidade de vê-lo nos necessitados e a capacidade de se esquecer de si mesma, para responder às necessidades que se apresentavam e se multiplicavam à sua frente”, declarou o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Mario Krieger, sobre a nova Santa. 30 bispos estarão especificamente para o evento e 58 bispos que participarão do Sínodo, além de 100 sacerdotes que participarão da missa de canonização.

Para se ter uma ideia do trabalho de nossa Santa: são 2.2 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano; 954 leitos hospitalares; 3 mil profissionais incluindo médicos e professores, além de contar com 787 crianças e adolescentes no Centro Educacional, com tanta dedicação a academia promotora do Prêmio Nobel não conseguiu ver em Irmã Dulce merecedora do prêmio Nobel, certamente teria feito muito mais do que apenas comparecer em eventos com governantes incluindo alguns da realeza mundial. Irmã Dulce ou Santa Irmã Dulce, será nosso apoio espiritual com uma bênção especial, sempre fui devota dela e agora com maior razão.


Social Press . 10/10/2019

Previous article

Human Rights Voices at the 2019 Margaret Mead Film Festival

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Destaques