MundoNotícias

As 10 cidades mais caras do mundo para viver como imigrante

0

A pandemia do novo coronavírus mudou economias, políticas internas, o jeito como o mundo vive e custos de vida. Na lista divulgada pela consultoria Mercer de cidades mais caras para se viver como estrangeiro, a Europa e os Estados Unidos saíram do pódio e deram espaço para a Ásia. Pequim, na China, foi considerada a 10ª cidade mais cara do mundo.

Com empresas fechando, economias paralisadas e variações no câmbio, o custo de vida em diversas cidades mudou radicalmente. Na Europa, a Suíça se tornou o país mais caro para estrangeiros, com Genebra aparecendo em 9º lugar. Berna, também na Suíça, disparou 4 lugares comparado ao ranking do ano passado e chegou a 8º lugar. O custo de vida no país já era considerado elevado e, depois da pandemia, os valores subiram ainda mais. Na China, a cidade de Xangai ocupou o 7º lugar do ranking. O país é considerado o berço da pandemia e notificou a OMS sobre a doença em dezembro. Em fevereiro, grande parte do país estava de quarentena, o que impactou severamente a economia local.

A única cidade americana a entrar no ranking foi New York, que subiu 3 posições na pesquisa e agora está no 6º lugar. A cidade, uma das mais caras do mundo, se tornou o epicentro do coronavírus nos Estados Unidos. Considerada a capital dos milionários na Ásia, Cingapura ficou em 5º lugar no ranking. A cidade tinha conseguido controlar a pandemia no começo, mas pequenos focos de transmissão em massa em dormitórios de trabalhadores imigrantes preocupou as autoridades.

No 4º lugar entrou a cidade de Zurique, na Suíça. A cidade é considerada o capital financeiro do país. Apesar do impacto no custo de vida, a Suíça não foi um dos países mais afetados pelo coronavírus na Europa, registrando mais de 31 mil casos.  A capital japonesa, Tóquio, ficou em 3º lugar na lista. A cidade também está na lista de cidades mais caras do mundo, e com a pandemia, o custo de vida disparou. A cidade de Ashgabat, a capital do Turcomenistão, se tornou a vice na lista de cidades mais caras para imigrantes, subindo 5 posições desde o ano passado por conta de uma crise econômica, falta de comida e inflação disparada. Hong Kong manteve seu lugar como cidade mais cara para imigrantes no mundo. A região vive uma crise política com a China e disputas com os Estados Unidos, depois de ter perdido o reconhecimento como área autônoma.


82 brasileiros pedem ajuda ao governo para deixar o Peru

Previous article

Cerca de 300 mil pessoas voltaram a trabalhar em NY na segunda dia 22

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Mundo