BrasilComunidadeDestaquesNotícias

Minas Gerais é alvo de operação da PF no combate à imigração ilegal aos EUA

0

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta quarta-feira (2), três mandados de busca e apreensão em Caratinga e Tarumirim, no Vale do Rio Doce, em operação de combate à entrada ilegal de brasileiros nos Estados Unidos. De acordo com a corporação, o alvo da ação, batizado de “Lei do Retorno”, é uma associação criminosa sediada na região de Caratinga, que agilizava a entrada massiva e clandestina de mineiros no país norte-americano.

A investigação apontou que o grupo submetia os interessados a condições degradantes durante a viagem. Além disso, os emigrantes ilegais precisavam desembolsar entre 15 e 18 mil dólares pela logística, incluindo passagens aéreas, hospedagens, transportes terrestres e contratação, em solo mexicano, dos “guias” denominados coiotes, responsáveis pela travessia da fronteira com os EUA.

PF faz operação contra organização criminosa que promovia a entrada ilegal de brasileiros nos EUA — Foto: Divulgação/PF

Conforme a PF, também está sendo investigada a morte de um brasileiro de Tarumirim. O homem havia sido preso em agosto deste ano pela Polícia de Fronteira dos EUA por ingresso ilegal e, por essa razão, enviado de volta ao México. Entretanto, o mineiro foi encontrado morto 11 dias após em área da fronteira entre El Paso, no México, e Texas (EUA). “Uma das linhas investigativas considera a hipótese de que o homicídio decorreu da impossibilidade de arcar com dívidas assumidas junto aos coiotes, parceiros dos agenciadores da região de Caratinga”, informou a PF.

Polícia Federal prende dois foragidos em grupo de deportados - O Documento

Cooperação

De acordo com a polícia, a investigação faz parte de ação de cooperação policial internacional contra o tráfico de pessoas. Entre as ações conjuntas, policiais federais brasileiros que atuam na Adidância da PF em Washington (EUA) realizaram diligências em parceria com autoridades policiais norte-americanas e encaminharam à PF dados que levaram à identificação de agenciadores. Segundo a polícia, os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa e de promoção, por qualquer meio, com o fim de obter vantagem econômica, da entrada ilegal de brasileiro em país estrangeiro, cujas penas somadas podem chegar a mais de nove anos de prisão, se condenados. // Hoje em Dia.


Urgente: Secretário de Justiça dos EUA contradiz Trump e diz que não há provas de fraude nas eleições

Previous article

Coronavírus faz Sergio Moro adiar mudança para novo emprego, em escritório de Washington

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Brasil