Léa CamposNotícias

Léa Campos: Qual Seria o Benefício?

0

O Brasil nadando em meio a milhões de mortes e uma pandemia sem freios e os homens que criam as leis preocupados em mudar o nome de um estádio emblemático como é o “Maracanã”, que foi inaugurado em 16 de junho de 1950, levando o nome do jornalista Mário Filho. Por que não criam leis que obrigam os cidadãos a se protegerem para proteger o próximo?

Sabemos que o carioca é irreverente e brincalhão, mas com essa idiotice, os legisladores cariocas estão mostrando outra faceta: INCOMPETÊNCIA. Somos a burla do mundo por não dar importância a uma pandemia séria e mortal, que o chefe de governo classificou como “gripezinha”. O mundo reclama o que os brasileiros não reclamam: respeito a seu povo. É preciso levar a sério tudo o que está ocorrendo. O Covid-19 está entrando em nossas casas e levando nossos parentes e amigos, enquanto os legisladores se preocupam em criar uma lei para mudar o nome de um estádio de futebol. Deveriam disponibilizar o espaço do estádio para receber as pessoas que precisam e querem ser vacinadas. Gostam tanto de xerocar o governo americano, por que não seguem este exemplo? Aqui ninguém muda nome de nada para homenagear atletas. Se o caso é homenagear Pelé, nosso ídolo maior, por que não mudam o nome do estádio do Santos onde Pelé fez sua carreira? Pele merece todas as homenagens possíveis, mas mudar um nome mundialmente conhecido não cabe na cabeça de ninguém, creio que nem ele mesmo concordaria com essa ideia, além do mais, infelizmente, Pelé não teve nenhuma conquista a nível mundial no Maracanã, para dar nome ao estádio. Os feitos proporcionados por ele jamais serão esquecidos, mas a César o que é de César. Apesar da proposta já estar em mãos do governador dos cariocas, o próprio deputado autor da proposta e que preside a Assembleia do Rio de Janeiro, André Ceciliano (PT), anunciou que não será trocado o nome. Maracanã, como bairro e como Estádio são marcas registradas dentro e fora do Brasil. O Maracanã nunca foi lembrado como Estádio Mário Filho, apesar da luta e campanha feitas por ele para a construção do Estádio. Sua luta foi bem difícil, mas por ser proprietário do Jornal dos Sports conseguiu a adesão de outros jornalistas bem como das autoridades. É necessário que esses políticos de ocasião, conheçam as leis federais que regem o país, como é o caso da lei Federal 6454/77, que proíbe dar nome de pessoas vivas a bens públicos. Primeiro conheçam as leis vigentes, depois façam suas propostas.


ADEUS: Gilberto Secundo de Souza . 1957-2021

Previous article

Seeking Family Strength, Modeling a Champion & Feminine Revolution

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Léa Campos