ColunistasLéa CamposNotícias

Léa Campos: “Que cosa mas grande caballero” (dito cubano)

0

Somos um país com quase 200 milhões de habitantes. Somos uma grande empresa administrada por playboys e playgirls, gente descompromissada com a realidade do brasileiro.Temos muita carência em tudo, desde o ajudante de pedreiros até a profissão mais nobre, que a meu ver, é a de médico, não a de macumbeiro, que é o que mais existe no país caribenho. Mas pelo visto somos carentes também em guerrilheiros, já que os nossos estão no governo, resolveram importar de Cuba guerrilheiros travestidos de médicos para trabalharem no interior, onde segundo o governo ninguém quer ir.

O que vão pagar aos ” importados” de Cuba, evidentemente será mais do que o recebido por qualquer médico de cidade, pois eles virão como estrelas e logicamente não aceitarão a esmola que pagam aos nossos médicos. Imaginemos o transtorno que causará esta intromissão estrangeira, o brasileiro dos grotões que mal fala o português, terá que entender e falar espanhol, mais um castigo para o pobre de recursos e de conhecimentos. Estes pseudo-médicos virão com a missão de induzir nosso humilde campesino, para a doutrina dos irmãos Castro, maior sonho dos PeTralhistas.

Temos que reagir para não lamentar mais tarde, se a guerrilheira mor do país não conseguiu meter o comunismo no país, agora como governante o fará sem nenhuma dificuldade. A presidente não fala sobre suas metas de governo e nem dá mostras de melhorar realmente a vida do brasileiro que vive de forma miserável. É muito fácil pagar jornalistas e jornais no exterior para falar bem dos governantes, como o fez o corrupto-mor do país, que se mostrou como o melhor do mundo, (para todos menos para o brasileiro),graças ao tremendo esquema publicitário que o cerca. Infelizmente nossos médicos são mal remunerados, trabalham sem o mínimo necessário e agora estão ameaçados por invasores cubanos e de outros países.

Por que não oferecem melhores condições de trabalho para o corpo médico que temos, ao invés de buscar uma alternativa que sairá mais caro para os cofres públicos? Cabeça não serve apenas para carregar cabelo oxigenado, e sim para pensar o que pode ser feito para melhorar a vida dos doentes, dando condições aos que buscam nas faculdades melhores conhecimentos para socorrer os que deles precisam. Outro erro do governo é permitir que estes doutrinadores exerçam a profissão de médico sem revalidar o diploma no Brasil.

Por muito bom que seja o ensino médico em outros países, falamos português. O que fará um doutor cubano quando uma mãe chegar para ele e dizer: “dotô, meu filho tem difrucio e agora parece que deu piriri, que faço?”. Vai entender? Nossos dialetos interioranos não serão traduzidos pelos importados, sem se esquecer que teremos que inventar algum aparelho para acompanhar a velocidade com que os cubanos falam. “Que cosa mas grande caballero”! Estudantes de medicina, enfermagem e médicos na ativa, fazem movimentos em pró dos médicos locais, mas a população também deve participar, afinal nós seremos os prejudicados por esta alternativa do governo dos PeTralhas.Não podemos pagar para ver, temos que tomar uma posição agora antes que o leite derrame, porque depois não adianta chorar.FOTO: ARQUIVO DO ESTADO DE MINAS

Print

Estudantes e médicos participaram da manifestação que vai acontecer em todo país

Aos miseráveis o que há de pior, nem direito a médico que fala e entende o idioma, temos certos tipos de doenças que o mundo desconhece, como a Doença de Chagas entre outras doenças tropicais, desconhecidas a nível mundial.
O governo mais uma vez desrespeita a legislação colocando em risco a qualidade da assistência oferecida.
Já não podemos aguentar tanta imposição deste governo autoritário e ditatorial, temos que reagir enquanto é tempo, já basta de nos fazer de palhaços.
Fora PeTralhas.

Informar é um privilégio, informar corretamente uma obrigação.

Léa Campos


Social Press . 30/05/2013

Previous article

Fato Policial by Roger Costa . 30/05/2013

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas