ComunidadeDestaquesNotícias

Brasileiros membros de gangue que agia nos EUA são condenados e serão deportados

0

Dois integrantes do Primeiro Comando da Massachusetts (PCM), gangue de origem brasileira, foram condenados no dia 21 de maio de 2021 por atos de extorsão, assaltos à mão armada e tráfico de armas e drogas. João Pedro Marques Gama, “Bahianinho,” e Vinícius de Assis Gonçalves, ambos com 23 anos, brasileiros que residiam anteriormente em Revere, foram condenados pela juíza do Tribunal Distrital dos EUA Patti B. Saris a 54 e 87 meses de prisão, respectivamente. Cada réu enfrentará procedimentos de deportação após o cumprimento de sua sentença. A gangue teria como chefe o valadarense Márcio Costa, o Marcin, que já se encontra preso e à disposição da Justiça.

Em 10 de dezembro de 2020, Gama se confessou culpado de conspiração para conduzir negócios empresariais por um padrão de extorsão, conspiração para cometer roubo, para distribuir cocaína e 28 gramas ou mais de base de cocaína, envolvendo-se no negócio de comércio de armas de fogo e por ser um estrangeiro em posse de uma arma de fogo. Em 9 de dezembro de 2020, Gonçalves se declarou culpado de conspiração RICO.

Em setembro de 2018, agentes federais começaram a investigar membros e associados do PCM, que apareceu pela primeira vez em Massachusetts em 2017. Alega-se que membros e associados do PCM estavam ativamente envolvidos em crimes violentos, incluindo venda ilegal de armas de fogo, tráfico de drogas, roubos, sequestros e ataques armados em várias comunidades em Massachusetts, incluindo Boston, Malden, Everett, Somerville, Framingham e Peabody, entre outros.

Gama participou de um assalto à mão armada a uma empresa brasileira de transferência de dinheiro em Everett e conspirou para cometer assalto a mão armada a um transportador de drogas. Gama também foi responsável pela distribuição de mais de 28 gramas de crack e nove armas de fogo, incluindo uma espingarda serrada.

Gonçalves participou de um assalto a um mercado em Boston, um assalto à mão armada em frente a uma loja de celulares em Framingham e o assalto a um carro em Marlborough.

Todos os réus no caso se confessaram culpados de conspiração e outras acusações. Em fevereiro de 2021, a juíza Saris condenou Breno Henrique da Silva a nove anos de prisão, Matheus Marley Machado a 27 meses de prisão e Álvaro dos Santos e Márcio Costa a quatro e cinco anos de prisão, respectivamente. Eles serão deportados após o cumprimento da pena, de acordo com as autoridades.

O Procurador em exercício dos Estados Unidos, Nathaniel R. Mendell; Kelly D. Brady, agente especial encarregado do Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos, Divisão de Campo de Boston; William S. Walker, agente especial em exercício encarregado das investigações de segurança interna em Boston; e o coronel Christopher Mason, superintendente da Polícia Estadual de Massachusetts, fizeram o anúncio.

Os Departamentos de Polícia de Chelsea, Lowell, Malden, Marlborough, Somerville e Weymouth e o Gabinete do Xerife de Middlesex forneceram assistência na investigação. O procurador assistente dos EUA, Timothy Moran, o subchefe da Unidade de Gangues e Crimes Organizados de Mendell e o procurador assistente dos EUA, Michael Crowley, processaram o caso. (Fonte: Brazilian Times)


Cultural, Political and Moral Clashes at Tribeca Film Festival ‘21

Previous article

Imigrantes ilegais com TPS não terão residência permanente, decide Supremo Tribunal de Justiça

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Comunidade