Lesões na coxa perseguem Robinho há anos; no Cruzeiro, problemas aumentaram

Lesões na coxa perseguem Robinho há anos; no Cruzeiro, problemas aumentaram
06 julho 13:22 2017 Imprimir

Em campo, Robinho é um dos jogadores mais importantes do Cruzeiro. O obstáculo, no entanto, é a série de problemas musculares que tem tirado o meio-campista dos gramados. Nesse domingo, o camisa 19 do Cruzeiro deixou o clássico contra o Atlético com dores. O diagnóstico veio dois depois: lesão de grau dois na coxa esquerda e ausência de até seis semanas do time.

Em pouco mais de um ano e dois meses de Cruzeiro, Robinho teve seis problemas clínicos constatados. Somado o tempo de recuperação das cinco lesões anteriores, o meio-campista desfalcou o time por 143 dias. O curioso, no entanto, é que o atleta tem sofrido repetidamente com complicações nas duas coxas.

Nos últimos cinco anos, foram constatados pelo menos 13 problemas nesta região do corpo – seja com edemas mais simples, seja com lesões que o tiraram dos gramados por mais tempo. Desde os tempos de Coritiba, o desgaste nos diferentes músculos que compõem a coxa tem preocupado os departamentos médicos dos clubes que Robinho defendeu.

No Cruzeiro, as lesões se tornaram mais frequentes. Desde o dia 26 de abril de 2016, quando foi anunciado como novo reforço do clube mineiro, Robinho sofreu cinco vezes com problemas na coxa e uma por entorse no tornozelo esquerdo.

Em um período maior de Palmeiras (um ano e quatro meses), foram três problemas informados oficialmente – todas na coxa, na temporada 2015. O meio-campista chegou a ficar de fora de partidas importantes do clube, como a ida da semifinal da Copa do Brasil, contra o Fluminense. O número de lesões, no entanto, é menor se comparado ao tempo de Cruzeiro.

Em 2013, pelo Coritiba, Robinho sofreu quatro vezes com problemas musculares na coxa esquerda, conforme noticiado pela imprensa paranaense. A principal lesão foi detectada em 19 de novembro, três dias após a derrota por 2 a 1 para o Criciúma, já na reta final do Campeonato Brasileiro. O retorno ocorreu só no meio de fevereiro da temporada seguinte, no Estadual.

Em 2014, foram poucos os registros de problemas médicos. A única divulgada oficialmente ocorreu em maio, quando Robinho enfrentou uma lesão no músculo posterior da coxa esquerda.
Em 2017, Robinho já desfalcou o time entre 19 de março e 4 de junho por conta de uma lesão de grau três na parte posterior da coxa direita. Foram quase 80 dias afastado por conta do problema.

Desta vez, o problema no adutor da coxa esquerda deve tirar o meio-campista do time de Mano Menezes por seis semanas. Ele saiu do jogo contra o Atlético aos 24 minutos do segundo tempo já com dores no local.

Sem Robinho, o Cruzeiro terá de enfrentar clássicos nacionais, como Palmeiras, Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo e São Paulo. O meio-campista também desfalcará o time na partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Palmeiras, em 26 de julho, no Mineirão.

  Editorias:




Escreva um comentário

Nenhum comentário

Nenhum comentário ainda...

Seja o primeiro a comentar!.

Publique seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.
All fields are required.