ColunistasFrancisco Sampa

Francisco Sampa: Brasil, black ”fraude” day, ladrões e mentirosos

1

francisco_sampaNo Brasil  imita-se tudo, mesmo sem saber o significado  ou o  porquê  das  coisas  e  dos fatos. Boa parte dos brasileiros que  mora nos EUA  não sabem o significado nem o porquê do  black  friday, imaginem então senhores leitores  os que  vivem  no  Brasil, mas  como dizem  os brothers lá do  norte “monkey  see  monkey  do “ e  assim está sendo  feito  aqui  no  Brasil  com o black  friday tupiniquim,  que serviu  para que  a  nação  brasileira   virasse  motivo de  chacotas  e  críticas  por parte  da conceituada  revista Forbes, que  na semana  passada  publicou: “Se nos Estados Unidos a black friday é a largada da temporada de compras de Natal, no Brasil é uma data para varejistas enganarem consumidores ávidos”.

Foi assim que o site da revista norte-americana Forbes destacou a ação brasileira que iniciou na madrugada de sexta-feira (29) de  novembro. Os gringos  lá da terra do  Barack Husseim Obama  disseram: “Enquanto o black friday nos Estados Unidos é um dia de negócios, no Brasil ela é conhecida como o Dia da Fraude.” Em 2012 mais de 8 mil pessoas foram enganadas   por comerciantes e  grandes empresas  que alardearam aos  4 cantos serem honestas  e idôneas. Aqui  no  Brasil, adoramos chamar o governo  e os políticos de ladrões, mas  vamos juntos  aqui  neste espaço fazer  um exercício de mea culpa: ficamos o tempo todo “metendo o pau” nos políticos ladrões e acabamos nos esquecendo dos comerciantes ladrões, dos lojistas ladrões, dos supermercados ladrões, dos bancos ladrões, dos cartões de crédito ladrões, enfim, o nosso povo é muito ladrão. Somos roubados  por tudo e por todos e para justificar tentamos fazer uso da Lei de Talião, “olho por olho,  dente por dente”,  todo mundo  é roubado,  sai roubando país afora.

E  assim  não só  a sexta-feira é negra, nosso presente e  nossos dias futuros  estão e serão  todos  negros. A epidemia da  violência está aí  como prova  das minhas ácidas e realistas palavras. Me  dói  como  cidadão nordestino, brasileiro  escrever  isso, mas senhores  temos de cortar   a própria carne,  dar um basta nisso  e  para começar  tem  de  ser  dentro de  cada casa,  de cada família, o problema  da  violência  não é   uma  questão  de  segurança e  tropas  nas ruas, becos e avenidas. É  uma  questão de educação, um flagelo cultural da máxima “farinha pouca, meu pirão primeiro”, a violência está acabando  com a nossa  gente, com o  nosso país, a  necessidade  junto com a ociosidade  e  a certeza da impunidade são fatores vitais  e preponderantes na receita  deste grande bolo da  violência  com recheio de  mortes coberto de sangue  de jovens, policiais, e   da  nossa gente  brasileira, onde  muitos se fazem  de santo e como  gato  ladrão dão  o bote,   escondem  as unhas. Cabe à todos  nós,  assim  como  diz a  Bíblia:  vigiar e orar, orar  vigiar…  Vamos juntos dar   um chega prá lá   nessa   mazela  do  mal que  circunda as  nossas vidas,   como uma  nuvem negra  paira sobre  nossas  cabeças, carregada  de  morte, ódio  e muita dor. É  hora  de cobrarmos  mais  de  nós  mesmos e de  nossos legisladores. Vamos dar folga para prefeitos, governadores  e presidente, pois  quem  tem o poder  nas mãos    são   os  nossos  senadores e deputados, estaduais e federais…  eles  sim podem mudar o atual quadro  negro  da  epidêmica   violência que assola o país. E por falar em deputado, estou precisando  de  um helicóptero. Será  que  aquele  lá das Gerais  empresta ou aluga o dele? Afinal,  quem pagava  o combustível era  a Assembleia, ou seja, o povãooooooooooooooo, a tal  nave avião  de  rosca estava carregada de…  droga, acabou meu tempo, um sampraço do Francisco  Black  Sampa… rs  rs  rs, tomorrow its friday our pay day  guys.


Fato Policial by Roger Costa . 05/12/2013

Previous article

Léa Campos: Onde anda a Federal?

Next article

You may also like

1 Comment

  1. Vc ta aonde to querendo depois do ano novo conhecer o Pernambuco vc ta por ai me da um alo váleu Monkey

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas