EsportesNotícias

Polícia Civil detalha operação no Cruzeiro e revela apreensão de computadores e celulares

0

Em nota, corporação informou que cumpriu 16 mandados de busca e apreensão

A Polícia Civil (PC) divulgou nota detalhando a etapa inicial da operação Primeiro Tempo, deflagrada nesta terça-feira e envolvendo dirigentes do Cruzeiro. No comunicado, a corporação informa que foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão em instalações da agremiação e nas residências de pessoas ligadas ao clube. A PC esteve nos imóveis do presidente Wagner Pires de Sá, do vice de futebol, Itair Machado, e do diretor-geral, Sérgio Nonato.

Ainda de acordo com o boletim, a operação envolveu aproximadamente 100 policiais civis, entre delegados, investigadores, escrivães e peritos. Além de documentos, foram apreendidos computadores, celulares e outros equipamentos “de interesse para a investigação”. A Polícia Civil afirmou que a operação visa apurar a “prática de crimes, em tese, cometidos por dirigentes do Cruzeiro, havendo notícia da prática de falsificação de documentos, apropriação indébita e outros delitos” (leia nota na íntegra ao fim desta reportagem).

Os escândalos no Cruzeiro vieram à tona após matéria exibida no programa Fantástico, da TV Globo, em 26 de maio. À época, foram divulgadas irregularidades em transações e valores superfaturados pagos a empresas prestadoras de serviço. A PC já havia ouvido 15 pessoas que mantinham alguma relação com o clube, entre elas funcionários, ex-empregados, dirigentes e agentes esportivos.

A denúncia mais grave era sobre um empréstimo de R$ 2 milhõescontraído pelo Cruzeiro com Cristiano Richard dos Santos Machado, sócio de firmas que atuam na locação de veículos e de equipamentos de proteção. A residência do empresário também foi alvo de busca e apreensão da Polícia Civil.

Como forma de quitação do débito com Cristiano Richard, o clube, segundo inquérito da PC, incluiu parte dos direitos de jogadores do profissional, como Raniel (5%), Murilo (7%) – esses dois já foram vendidos pelo clube -, Cacá (20%), David (20%), e de outros que passaram pela base e foram negociados, casos de Gabriel Brazão (20%) e Vitinho (20%). O Cruzeiro ainda inseriu participação em futura venda do promissor Estevão William, de apenas 12 anos, que, pelas leis trabalhistas, só poderá assinar vínculo laboral a partir dos 16.

Outras operações apuradas pela Polícia Civil são os aumentos substanciais nos salários de dirigentes – casos do vice-presidente de futebol Itair Machado e do diretor-geral Sérgio Nonato -, a contratação de conselheiros para prestação de serviços (pessoa física e pessoa jurídica) e o pagamento a torcidas organizadas.


Atlético muda peças em todos os setores em relação às finais do Mineiro contra Cruzeiro

Previous article

Grupo armado reivindica assassinato de brasileiro no Paraguai

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Esportes